Recanto do Chorinho, do saudoso Egnaldo do Bandolim, festejará os seus 34 anos de fundação

Atualizado: 20 de Dez de 2021

O Bar e Restaurante Recanto do Chorinho celebrará seus 34 anos de existência com uma grande festa que acontecerá no dia 12 de dezembro, das 12h às 0h, no estabelecimento localizado no Parque da Cidade, no Bairro Industrial, na Zona Norte de Aracaju.

O evento contará com o anfitrião da casa o Regional Recanto do Chorinho e várias atrações como Anna Aparecida, Lene Hall, Núbia Faro, Mimi do Acordeon, Douglas Gavião, Nancy Alves, Ecinho Rodrigues e outros artistas. O ingresso está a venda no local. Mais informações 79 99933-1361


PAI DO BANDOLIM SERGIPANO

Egnaldo Rodrigues dos Santos, mais conhecido como Egnaldo do Bandolim, nascido em 13/08/49, na cidade Malhador/SE, foi um dos maiores precursores do Chorinho em Sergipe. Músico, compositor e bandolinista de choro ingressou na carreira musical ainda na adolescência tocando cavaquinho, na cidade onde nasceu, teve como professor Sr. Manoel Eleotério, no entanto decidiu o Bandolim como instrumento. Nos anos 70, fixou residência em Aracaju, sempre rodeado pelas rodas de choro e de grandes amigos chorões, foi intitulado o Pai do Bandolim Sergipano. Alcançou popularidade nos anos 80, ao fundar o Restaurante Recanto do Chorinho, inicialmente na Rua Bahia, Siqueira Campos, o qual tinha uma mesa enorme com chorões e seresteiros, um verdadeiro Encontro de Amigos. Em 1998, o Restaurante mudou para o Parque da Cidade e Sr. Egnaldo continuou trazendo com o Bandolim, alegria a todo os frequentadores assíduos do local e amantes do choro. Participou de vários grupos musicais como por exemplo o Conjunto de Cana e Corda, porém depois de algum tempo surgiu o grupo Regional Recanto do Chorinho. Egnaldo, em 2010 lançou o primeiro e único CD, um sonho de anos, com composições de choros próprias como Cascata, Cadarço do Sapato, Daniella e Saudade do Bandolim e de outros artistas, foi uma noite célebre, pois como ele dizia “A música é minha vida, vou morrer tocando chorinho”! Em 21 de Setembro de 2015, ele deixou a esposa, 4 filhos e 6 seis netos, na saudade eterna partindo para casa do Pai Celestial, e com toda certeza está alegrando todos com a mestria do som dos acordes suaves, indiscutivelmente diferente, de todos os bandolins de outros artistas


Fonte: Assessoria / Ajufest

1 comentário